Ficha Técnica
Data do projeto 2013
Local: Itatiba – SP
Fase: Projeto executivo
Área do terreno: 1001,00m²
Área total da construção: 532,19m²
Arquitetura: Samir El Banate
Estrutura: Mauricio Oliva de Farias (Stec do Brasil)
Instalações: Maximiliano B. Leitão (Solar Engenharia)
Gerenciamento: Henrique Cury e Samir Set El Banate

Memorial

Localização:
O Terreno está localizado num área próximo a uma represa na cidade de Itatiba e a Rodovia Dom Pedro I que liga importantes rodovias do interior de São Paulo.
Com um total de 1001,00m², o lote é um retângulo de 28,60m de frente por 35,00m de comprimento, em aclive de 2,69m da frente para o fundo numa rua em declive.

Programa:
Uma casa de veraneio, mas com um potencial para casa principal de uma família com um filho adolescente e quartos para visitantes. A casa totalizou 373,95m² de área fechada e 158,24m² de área aberta.

Projeto:
O terreno está inserido numa paisagem onde a lateral esquerda tem uma vista privilegiada para uma represa e uma pequena mata. Para manter a vista de toda a casa para a paisagem, estabeleceu-se que a implantação deveria ser na cota mais alta possível, mas que não gerasse uma grande movimentação de terra para tal. Com isso, escolheu-se a cota a 2,40m acima do ponto média da rua, onde, foram implantados todos os programas da casa (salas, cozinha, área de serviço, dormitórios) deixando uma grande área de entrada livre sob a primeira parte da casa que está suspensa do solo e está em frente à rua.
Desta forma, transformou-se o lote (grande parte dele) numa grande “praça” com floreiras e jardim e com calçamento de mosaico portuguesa branco, dando uma continuidade a calçada e a rua. Os acessos serão feito tanto pela “praça” onde se encontra uma escada que leva a porta principal, como por uma rampa lateral que acessa uma área calçada, mas sem construção que pode ser usada como entrada em dias de festas ou eventos.
Com relação ao programa, apesar de ser um programa corriqueiro, pensou-se em aproveitar o espaço externo e integra-lo aos ambientes internos de uma forma que todos os cômodos têm acesso direto ao exterior. Pode-se entrada na casa por qualquer parte dela, tornando-a como parte integrada da região sem obstáculos físicos e visuais.
Toda a construção é resolvida em sete pilares que sustentam vigas invertidas e que por sua vez atirantam as lajes. Tudo está resolvido de uma maneira muito simples, com a construção duas lajes e que serão fechadas com vidro. Terminada a concretagem e a colocação dos vidros, a casa praticamente estará pronta.