Ficha Técnica
Data do projeto 2013
Local: Sousas – Campinas – SP
Fase: em construção
Área do terreno: 1004,26m²
Área total da construção: 332,58m²
Arquitetura: Samir El Banate
Estrutura: Mauricio Oliva de Faria (Stec do Brasil)
Instalações: Maximiliano B. Leitão (Solar Engenharia)
Gerenciamento: Henrique Cury e Samir Set El Banate

Memorial
Localização:
O terreno está localizado numa área de proteção ambiental (APA) no distrito de Sousas em Campinas, São Paulo. Tem um total de 1004,26m² de lote, como uma declividade de 20% (6m) do nível da rua. O lote começa com uma largura de 15m no alinhamento da rua e se abre para o fundo com uma largura de 51,40 m que está voltada para uma mata pertencente a várzea de um riacho que alimenta o rio Atibaia.
Programa:
Casa de 332,58m² para uma família com quarto filhos pequenos que quer de alguma maneira uma interação visual com o remanescente de mata que está ao fundo do lote.

Projeto:
Com a declividade apresentada pelo terreno para o fundo do lote, optou-se por implantar o edifício em duas cotas diferentes. A primeira mais próxima à rua cerca de 1,10m abaixo dela, propiciando os acessos à residência por rampa e escada, e a segunda 1,40m a baixo do primeiro nível, aproximando os espaços da cota mais baixa do lote. Esta segunda cota foi implantada à piscina e salas.
Estruturalmente, a casa está divida em dois blocos suspensos do solo, um (quartos e salas) paralelo à rua e o segundo (quarto do casal) perpendicular. Os dois blocos se complementam em termos estruturais, pois estão em sentido opostos o que ajuda no travamento horizontal. Existe um terceiro plano paralelo ao primeiro no nível da piscina onde se encontra as salas, cozinhas e áreas complementares e que está coberta por uma laje alagada na qual os dois volumes principais flutuam ao seu redor, como se esses espaços estivesse sobre a água.
Em termos dos espaços interno existe uma interação entre todos os espaços no centro da casa, onde estão as circulações verticais e onde existe uma previsão para a colocação de um pequeno elevador, ou seja, de certa maneira os espaços não se encerram em si mesmos, eles continuam no próximo ou ainda no os ambientes externos, pois todos estão interligados visualmente.
O lote não possui cercas nem muro divisa com a rua, criou nos desníveis muros de arrimos de 1,40m, com acessos por escadas, ou taludes que permitem a livre circulação das crianças ao redor da cada, tornando todo o lote e a rua parte do espaço interno da casa.